produção textual

PRODUÇÃO TEXTUAL NAS UNIVERSIDADES

As redações são cobradas desde o início da vida estudantil, durante o ensino fundamental até o ensino superior. Estar preparado para dissertar sobre um tema específico pertinente ao seu curso é fundamental para o andamento do semestre. 

Ao longo do período acadêmico, as dificuldades aparecerão em razão da saturação dos temas abordados, pois são repetidamente discutidos. Além de estar preparado, é preciso possuir habilidades naturais, ou seja, ter técnicas de escrita que são práticas e fluem tranquilamente. 

Contudo, isto é um desafio enorme para algumas pessoas, sendo um trabalho penoso produzir uma simples redação ou o pesadelo dos universitários: os artigos científicos.

Existem fórmulas para praticar, afinal, a prática é amiga íntima da perfeição. Conhecendo as estruturas dos textos fica mais fácil ler e interpretar, por consequência, você desenvolve técnicas próprias para dissertar com maestria. 

produção textual

Como ser escritor de livros? Saiba tudo sobre a carreira https://vaidebolsa.com.br/como-ser-escritor-de-livros/

ESTRUTURAÇÃO TEXTUAL

Para se atingir uma boa comunicação, conseguindo passar para o papel todo o seu pensamento, é preciso primeiro, saber que tipo de produção textual é sua incumbência. 

  • Texto narrativo: nesta forma você disserta sobre um fato que aconteceu, narrando uma história, por exemplo, ou cria uma fantasia com personagens, lugares, etc,
  • Texto descritivo: descrever lugares, paisagens, pessoas, são exemplos desta forma textual, podendo utilizar-se de adjetivos para desempenhar melhor o papel de texto descritivo. 
  • Texto técnico: desta maneira, você descreverá algum item, por exemplo, com especificações técnicas a respeito do mesmo.
  • Texto dissertativo/argumentativo: essa estrutura textual se enquadra em poder de persuasão e convencimento, apresentando uma introdução breve, seguido de parágrafos de desenvolvimento e por fim uma conclusão que pode incluir uma solução para o que foi  trabalhado durante o texto. 

Estes modelos citados serão cobrados conforme sua área de atuação, principalmente nas provas, onde você terá limitação de tempo e precisa estar com a criatividade em plena função, podendo desenvolver seu pensamento sem grandes problemas. 

GRAMÁTICA E ORTOGRAFIA 

Não há nada mais constrangedor nas Universidades do que erros ortográficos. É normal, que durante o processo, ocorra alguns “brancos”, esquecimento de como se escreve palavras simples. Caso isto aconteça com você nos seus textos, busque um sinônimo é evite escrever sem ter a plena certeza de que está correto. 

Erros como ambiguidades, pleonasmos, redundância são exemplos de uma longa lista de erros gramaticais, porém, são menos graves do que ortográficos. Para garantir um bom rendimento, evitando estes erros, técnicas lhe trarão benefícios para suas produções.

  • Prática

Pense em um assunto que você domina: podem ser assuntos completamente aleatórios e/ou fúteis, mas que você domine e tenha conhecimento sobre o tema. Praticar sua escrita é muito importante para não ter dissociação entre o que pensa e o que escreve. Se você tem dificuldades desde cedo, comece a produzir textos com parágrafos curtos, sem se deter a um modelo textual específico, apenas dissertando conforme achar melhor. 

produção textual
  • Leitura

Bons livros com enredos que lhe prendam a atenção é uma ferramenta muito útil, pois além de trabalhar seu raciocínio, aumenta a quantia de vocabulário. 

Tenha em suas mãos um dicionário, computador ou celular com acesso à internet para que toda vez que não ter conhecimento do significado sobre determinado vocábulo, você possua em suas mãos seu entendimento. 

Enriquecendo o vocabulário, sua dissertação certamente enriquecerá, podendo ampliar a forma de desenvolver o pensamento. Outra técnica interessante é reescrever um artigo ou parte de algum livro de uma maneira diferente da original. Desta forma, varie os autores dos escritos, pois cada um possuí seu método de escrita. 

DISSERTAÇÃO NA PÓS-GRADUAÇÃO

Existem as seguintes formas de cobrança dissertativa na pós-graduação, são elas: tese, monografia e dissertação. Compreender suas diferenças é fundamental para transferir seus conhecimentos para o papel. 

  • Tese

Este modelo textual é adotado no doutorado. Seu objetivo é extrair do aluno uma ideia totalmente original, podendo ser a defesa de uma tese já existente, exigindo maior criatividade e poder de persuasão, sendo a forma textual mais complexa. 

  • Monografia

As monografias se caracterizam pela escrita final do estudante. Cobrados durante todos os processos de graduação, este trabalho trata de um tema previamente especificado, requisitando o desenvolvimento da forma que o aluno melhor se expressar, apresentando detalhes de forma clara e convincente. 

  • Dissertação de mestrado

Este modelo é a escrita final do curso de mestrado. Sua elaboração consiste em grandes pesquisas de cunho científico, com informações precisas a partir da coleta de dados, podendo ser experiências próprias ou já existentes. Esta dissertação é diferente da monografia, pois exige dados. Ainda assim, não há necessidade de apresentar total originalidade. 

Podemos concluir que a prática da escrita acontecerá forçadamente, pois durante todo o processo de graduação elas são exigidas. 

Porém, praticá-las é uma maneira de desenvolver seu curso com maior facilidade, não sendo alvo de preocupação e maus resultados. Caso haja necessidade, existem professores particulares que auxiliam na produção textual, garantindo conhecimentos extras, principalmente no que se refere a gramática e criatividade. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *